Capa » Destinos de viagem » Argentina » Vila Langostura e Buenos Aires

Vila Langostura e Buenos Aires


Julho de 2010.  O destino não era esse….  Era Bariloche, mas como muitas vezes as férias saem de última hora, claro que não havia disponibilidade em nenhum hotel por lá e nos ofereceram a Vila Langostura, no coração da Patagônia.  Eu já tinha ouvido que era legal, bonito, mas sem opção para crianças.  Pensamos até em San Martin de Los Andes, mas também não teria nada para as crianças…..  Arriscamos.  Fomos em 7 pessoas, nós três aqui de casa e os quatro eternos parceiros de viagem, um casal e suas duas princesas.

Vila Langostura é rodeada pelo Parque Nahuel Huapi e pelo Parque Nacional de Arryanes.  Dizem que é linda nas quatro estações do ano.  Eu posso dizer que no inverno ela é maravilhosa.

Tudo combinado, nada resolvido, chegamos no aeroporto internacional de Guarulhos, 6 horas da manhã e os funcionários da Aerolineas Argentinas decidiram entrar em greve.  Nada de check in, nada de vôo, que era cedo, já que tinhamos a conexão para Bariloche e, de lá, seguiriamos 85 Kms para a Vila, cerca de uma hora de carro.

Resumo da ópera, conseguimos um vôo da LAN,  com embarque às 19hs, mas isso eram 10hs da manhã.  E o que fazer com as crianças?   Passeamos um pouco, prá cá e prá lá, nos deram o voucher do almoço e uma alma caridosa da LAN fez nosso check in, às 13 hs.  Entramos na ala de embarque e ficamos na sala do Mastercard Black até o horário do voo.  Pelo menos, um lugar para nos acomodarmos.  As crianças até dormiram nas chaises. E não ficou por aí……  Claro que chegamos muito tarde em Buenos Aires e  perdemos a conexão para Bariloche.  Aí, mais um perrengue com a cia. aérea  para marcar nosso vôo no dia seguinte e nos dar um hotel condizente com o nosso pacote para o pernoite.  Enfiaram todo mundo num ônibus e nos levaram para uma espelunca argentina (fato!!!!).  Não me lembro nem o nome do hotel, mas era feio, velho e estranho, sem nada por perto, nem para comer e as crianças meio apavoradas.  Os maridos sairam ao encontro de um sanduíche.  Voltaram com umas coisas nada boas…..  Pelo menos estamos vivos para contar a história.

Chegando no aeroporto no dia seguinte, mais uma muvuca.  Todo mundo do dia anterior precisava viajar e chegar ao seu destino.  Mais um stress e enfim, chegamos no horário do almoço em Bariloche.  Nossa motorista do traslado estava lá.  Gladis nos esperava, ansiosa, já que estávamos prá lá de atrasados.  Ela dirigia bem, graças a Deus….  adorava passar com a roda de trás em cima das calçadas nas curvas que beiravam o lago e falando, falando, falando, e o rádio do carro, tocando musiquinhas…..  O caminho muito bonito, sempre ladeando o lago Nahuel Huapi.

Em Bariloche chovia.  Na Vila não chovia e nem nevava, mas tinha neve na estrada e na avenida principal.

Chegando na nossa pousada, uma linda visão.  Ficamos maravilhados com a pousada.  Linda, toda em vidro e madeira (pelo menos uma compensação), os quartos ótimos, sem nada para falar de ruim.  Nosso banheiro era de vidro também e dava para um bosque, lindo, lindo.  Mas nada de neve.  Saímos para almoçar, umas 4 hs da tarde, num frio louco, (restaunrante Las Varas) depois demos uma volta pela cidade, tomamos um chocolate quente, compramos um bom vinho e fomos para nossa pousada. Hosteria Aldea Bonita.

Chegando lá, banho prá cá, pizza prá lá, as crianças dormiram e aproveitamos um pouco para papear no bar da pousada tomando nosso vinho.

No dia seguinte, lógico, acordamos atrasadíssimos, tomamos o café às pressas, sem percebê-lo e saímos para Cerro Bayo.  Na subida começou a dar medo…..  muita neve.  Eu nem imaginava o que estava por vir.

Quando chegamos lá, uma mistura de barro com gelo e fui ficando meio desconfiada.  Mas lá em cima tudo é festa.  O lugar é bonito, cheio de barzinhos, quiosques com guloseimas (leia-se chocolates), lojinhas…..    Alugamos nossas roupas impermeáveis e começamos a subir no teleférico.  Sim, o sistema de lift era de cadeirinha.  Hoje, está mudado e sobe de bondinho.

A vista era de deixar qualquer um que nunca tinha ido para um lugar desses, de boca aberta.  Uma imensidão branca, as árvores nevadas, uma coisa sensacional, ao fundo sempre o lago maravilhoso.  Chegando lá em cima, sim, bem em cima, depois de outro teleférico, as pistas.  Deixamos as crianças na escolinha de esqui, pois eles tinham aula e treino e nós também, mas do outro lado.

Foi muito divertido, caímos várias vezes (o difícil era levantar), demos muita risada com nosso instrutor, tomamos muito chocolate quente com whisky e fomos buscar as crianças para almoçar.

Elas estavam lá, na escolinha.  Já tinham feito suas atividades e estavam brincando.  Decidimos brincar um pouco na neve.  Que delícia.  Nos refastelamos.   Rolávamos, faziamos anjinho na neve, fizemos bonequinho e brincamos muito.

O almoço era lá mesmo na estação.  Muito bom por sinal.  Calórico, lógico, mas para aguentar a temperatura (-6ºC) estava ótimo.  Sempre tinha uma sopa (a de ervilha era maravilhosa), papas (fritas ou amassadas), carninha, franguinho, vinho e suco para as crianças.

No final do dia, voltamos para a pousada e fomos jantar na cidade.  Cada dia num restaurante.  E assim, se passaram três dias.  Aproveitamos muito, caímos muito (os adultos claro, porque as crianças parecem que nascem esquiando), passamos medo com pequenas nevascas. É, dá muito medo quando você está lá em cima na montanha e começa a nevar forte.  Não dá para enxergar nada, venta e o vento te leva…..  Chega a ser engraçado ver as pessoas se jogando no chão para não entrar nas pistas.  Vale tudo né!!  Estamos todos de touca, óculos, protetores….  ninguém te conhece.  Pode pagar mico à vontade.

O café da manhã, que passou despercebido no primeiro dia, era um capítulo à parte. Coisa mais gostosa e especial.  Todos os dias, assim que chegavamos na parte reservada para o café, uma senhora muito simpática nos trazia croissants quentinhos e uma geleinha especial (cada dia uma) e sussurrava no nosso ouvido do que era (eu não entendia muito bem o porque disso, mas valeu)!!!  Tinha de tudo, frutas, iogurte, frios, outros tipos de pães, chá, café, leite, chocolate.

No quarto dia, fizemos um passeio pela vila.  Fomos conhecer as lojinhas de artesanato local, almoçamos num restaurante bem bacana por lá e à tarde voltamos para a pousada.  As crianças foram nadar!!!!  Eu e minha amiga ficamos tomando um chazinho na lareira e jogando conversa fora.  Deliciosamente.

E não nevava na vila.  Só no Cerro e nós, todos os dias, diziamos para as crianças que a neve ia chegar.

No quinto dia, recebemos a melhor notícia possível.  O dono da pousada nos deu um dia a mais por lá, já que tinhamos perdido o primeiro.  Ligamos para a agente de turismo e ela conseguiu mudar os todos os vôos, tralados, só não nos garantiu que Buenos Aires, também nos desse uma diária a mais (alta temporada….).

Deixa prá lá……  Então, saímos para fazer o passeio dos Arrayanes.  A bordo do Catamarã Futaleufu saímos do Puerto Angostura rumo a Bahia La Mansa e fomos para o Bosque dos Arrayanes passear.  Balaçou pouco…… o lago estava agitadíssimo, mas o passeio foi bem legal.  O bosque é uma reserva natural, com uma trilha de aproximadamente 600 metros, com decks e escadas para apreciação das árvores e da vegetação.  Os arrayanes são árvores verdes que alcançam, em média, 25 metros de altura e atingem até 80 cm de diâmetro.  Tem troncos múltiplos, em tons de laranja com manchas brancas – efeito causado pelo descarcar do tronco.  Nosso guia contou que a casinha que tem no bosque foi a inspiração de Walt Disney para a criação do filme Bambi.  Será????  Lá, ganhamos um chocolate quente, pois estava imensamente frio e voltamos.

No último dia, escolhemos o último restaurante a dedo.  Fomo jantar no Australis Brewery.  Uma cervejaria artesanal que servia vários tipos de comida da região.  Acho que um dos lugares onde tomei um dos melhores vinhos que já provei, o Primogênito.  O restaurante era, também, de madeira e vidro, lindo mesmo, cheio de objetos pendurados no teto, a cervejaria toda para ser vista pelos frequentadores do local e a comida era feita pela esposa do dono do restaurante.  Uns pediram cordeiro, outros uma massa.  Estava tudo divino, a sobremesa, então, não tenho nem palavras.  De repente olhamos pelo vidro e…….. as crianças já tinham saído correndo……  Estava nevando!!!!  Foi um momento especial prá eles que vivem em São Paulo, onde não tem neve.

Aproveitaram e brincaram muito com os floquinhos de neve.  Voltamos para a pousada e a única coisa que eu queria é que não parasse de nevar.

Quando acordamos, estava tudo lindo, branquinho (mais gelado ainda), mas a paisagem era tão linda….  Vimos da janela do quarto o quanto tudo estava lindo.  Tomamos nosso café da manhã, maravilhoso e saímos para nos divertir na neve.  Todos nós brincamos.  As crianças até acharam um gato para brincar.  Foi muito divertido.

Nesse dia, fomos almoçar à pé pertinho, andando na neve com as crianças. Eles adoraram brincar com o gelo.

Na hora exata, Gladis veio nos buscar para nos levar ao aeroporto de Bariloche.  Destino, Buenos Aires.

Vila Langostura, um lugar que jamais esquecerei.  Jamais esquecerei dos momentos que passamos lá e da beleza que vimos.

Chegando em Buenos Aires, a boa notícia é que não poderiamos ficar um dia a mais grátis.  Acertamos com o hotel e ficamos mais um dia.  Ficamos no Hotel Colon.  Eu gosto do hotel pela localização, café da manhã e da limpeza.  Já fiquei outras vezes e não tinha nenhuma reclamação.   Saímos para jantar e no dia seguinte, logo cedo, saímos para passear…..  Antes, porém, a previsão do tempo….. Frio, mas muito frio.  Algo perto de 1ºC, fora a sensação térmica que era abaixo de 0ºC.  Fomos para o Parque 3 de Febrero passear com as crianças, levá-los ao Jardim Japonês e ao Rosedal.  De lá, shopping, porque o frio só piorava.

No dia seguinte, levamos as crianças ao Zoológico, em Palermo.  Ai que delicinha.  Lá você vê os animais tão de perto e é tudo tão lindo e bem cuidado, que mesmo com o frio, o passeio se torna super agradável.  E o zoo é grande.  Além dos elefantes, tigres, leões, rinocerontes, tem urso polar, lêmures, uma parte da floresta tropical, com aves, borboletas.  Tudo muito bonito.  A parte de alimentação do zoológico não é ruim.  A comida é fast food, nada diferente de todos os outros, mas o ambiente é bem legal.  Mesinhas com cadeirinhas e guarda-sol tomam conta dessa parte.  Depois do almoço, seguimos para a Livraria Ateneo.  Considerada a livraria mais tradicional de  Buenos Aires e a segunda mais bonita do mundo pelo jornal britânico The Guardian (a primeira é a Selexys Dominicanen Boekhandel, em Masstricht/ Holanda).  A livraria fica no antigo teatro Gland Splendid contruído em 1919.  Estava fechado, foi restaurado e alugado pela cadeia de livrarias. Atualmente, um ponto turístico muito interessante em Buenos Aires.  Ah, ia me esquecendo, o café é uma delícia.

No último dia, seguimos para mostrar a cidade para as crianças.  Casa Rosada, Teatro Colon, Galerias Pacífico, Recoleta.  O trivial de Buenos Aires.  No final do dia, bye, bye.

Alguns restaurantes frequentados em Vila Langostura – La Caballeriza e Waldhaus.  Em Buenos Aires: Bahia Madero, Puerto Cristal, Café Tortoni (são os que me lembro)…..

Estou preparando um post só de Buenos Aires, de outras viagens que fizemos apenas para a Capital Federal.  Logo estará publicado.

Essa é a nossa viagem das férias de julho de 2010.  Vejam algumas fotos:

Chegando, dentro do avião
Avenida principal da Vila
A hosteria sem neve.

Subindo para Cerro Bayo

Entrada da escolinha dos pequenos
O sistema de lift era assim!!!!
Agora é assim!!! Foto do site de Cerro Bayo
Na descida do lift, ao fundo, o lago Nahuel Huapi
Skibunda!! Uma delícia

Saída para o Bosque dos Arrayanes

Arrayanes
Vista da Bahia Mansa e ao fundo nosso Catamarã
O bosque

A casa citada, onde Walt Disney se inspirou para fazer o Bambi!!!!

Restaurante Australis Brewery

A neve chegou na Vila Langostura…..
Vista da janela do nosso quarto. Último dia.
A hosteria com neve!

A vila com neve.
Parque 3 de Febrero – Buenos Aires

Zoologico de Palermo – Buenos Aires

Livraria El Ateneo

Sobre Debora Godoy Segnini

Debora Godoy Segnini
Nascida em São Paulo, atualmente morando nos Estados Unidos, é mãe, esposa, funcionária pública em trabalho remoto, editora deste blog, viajante, até na maionese, adora viajar, vinhos, cozinhar, restaurantes, livros, passear, sol, chuva, doce, salgado, montanha russa, museu....... e no blog retrata as viagens da família, do casal e da vida!!!! Tudo aquilo que mais Gosta e Pronto!!!!

Confira

Provence com crianças

No ano passado, quando eu programei a viagem para a França, estava numa dúvida cruel …

7 comentários

  1. Adorei seu post e fotos !!
    Com sua ajuda e indicações, em julho fui para Bariloche, também AMEI a neve !!!
    Bj. amiga

  2. Petronilha Cotrim

    Adorei… principalmente por lembrar o nome do vinho: Primogenito. Eu tinha me esquecido.

  3. Adorei esse post minha guru! beijos

  4. Olá, vim procurar sobre Buenos Aires e achei esse post , gente que lugar lindo. Já fui a Bariloche 2x, e volto quantas der kkk, mas agora fiquei com vontade de conhecer a Vila Langostura. bjs

    • Debora Godoy Segnini
      Debora Godoy Segnini

      Ahhhhh, eu morro de vontade de voltar……. Quem sabe o ano que vem…. Esse já está todo programado. Um beijo

  5. Adorei a dica da pousada!!!!!

    • Debora Godoy Segnini
      Debora Godoy Segnini

      Obrigada Fran!!! A pousada é linda, super aconchegante e o tem um serviço jóia!!!! Eu amei e se voltasse, com certeza ficaria na mesma hospedagem!!!! Um beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *