Capa » Destinos de viagem » Brasil » Minas Gerais » Parte Alta da Serra da Canastra

Parte Alta da Serra da Canastra

Depois do passeio da Babilônia eu fiquei indecisa entre fazer o passeio na parte baixa ou na parte alta da Serra da Canastra, mas depois de conversar durante o jantar com algumas pessoas, decidimos ir para a parte alta da Serra da Canastra.  Acertamos o nosso passeio com o Vicente e tudo certo.

Quando acordamos, eu estava muito ansiosa pelo passeio. Mesmo. Logo fui tomar café e ficar pronta e esperando pela saída. Estava muito ansiosa por conhecer a Casca D’Anta não pela queda, mas para ver o Rio São Francisco fazer a primeira queda, o primeiro poço de água e enfim, a grande queda.

Todos prontos, partimos para mais um dia de aventura.

A estrada que leva até a portaria estava muito, mas muito ruim. Pelo que fiquei sabendo, a empresa contratada para arrumar a estrada, fez um trabalho lamentável e largou no meio do caminho. Então o que já não era lá aquelas coisas, ficou péssimo. Só mesmo um quatro por quatro para passar por ali e um casal maluquinho que seguiu o passeio atrás de nós a bordo de uma Tucson 4×2. A cada pedaço perrengue da estrada olhávamos para trás para sabermos se eles estavam atolados e nada!!!  Bom de braço o motorista e cheio de sorte, vamos combinar!!!!

Parque Nacional da Serra da Canastra portariaCentro de VIsitantes da Serra da Canastra

Primeira parada – portaria na entrada do Parque Nacional e pagamento da taxa ambiental de R$ 8,00 por pessoa brasileira.  Estrangeiros pagam o dobro (achei o fim do mundo…….!!!).

Próxima parada: o Centro de Visitantes que se encontrava fechado para reforma. Ali há banheiros que estavam em condições de uso e uma foto incrível do Parque Nacional.

Foto do Centro de Visitantes da Serra da Canastra

Dalí seguimos para a nascente do Rio São Francisco, o velho Chico que fica a 6 km da portaria, pela estrada que corta todo o Parque.  Claro que a nascente não é ali no pé da estrada, onde fica o marco  Ela fica mata a dentro, a 1300 metros de altitude. Mas ô lugar cheio de mosquito. Como não havia mosquito no dia anterior, não levei o repelente…. Não consegui ficar ali para mais de 3 fotos!!  Tadinho do São Franscisco…….. Nas margens, vários peixinhos e uma água super limpa. São dois corregos que surgem no meio do charco e na imagem do santo está escrita a famosa oração que leva seu nome.

Serra da Canastra Nascente do Sao FranciscoSerra da Canastra Sao FranciscoSerra da Canastra imagem de Sao FranciscoSerra da Canastra VegetacaoSerra da Canastra reuniao

Seguimos para nossa próxima parada, o Curral de Pedras que foi construído há muitos anos atrás para manejo do gado.  São pedras imensas que formam um lugar ímpar e que é um dos locais de observação do por do sol!

Serra da Canastra Curral das PedrasSerra da Canastra Curral de PedrasCurral de Pedras Serra da Canastra

Nosso destino era a Casca D’Anta – parte alta.  A chegada lá é por uma estradinha de terra meio íngreme com solo cheio de erosão.  Na verdade, observei que o bicho homem com seus jipes e caminhonetes potentes, que não capotam não respeitam a mãe natureza de jeito nenhum.  Querem contempla-la, mas precisam aprender a respeitá-la.  Não estou generalizando jipeiros ok! Vi vários passeando pela Babilônia no dia anterior e muitos na parte alta da Canastra, muitos civilizados, mas fomos ultrapassados por um grupo nada civilizado que além de passar, buzinar, sinalizar, ficaram olhando de cara feia quando paramos no ponto de apoio da cachoeira.  Uma pena isso.  Apenas para relatar, no dia anterior, na Babilônia, um grupo de jipeiro subia e descia uma montanha de terra – alta mesmo e já sem vegetação no caminho dessa subida e descida. Uma ótima aventura, mas aquilo não é brinquedo. Nem o carro e nem a montanha…… bom, já lamuriei…….

Serra da Canastra queda Casca Danta

Então…..  Chegamos ao ponto de apoio da Casca D’Anta. Um local com banheiros e muita área para estacionar.  Chegamos junto com as nuvens que trouxeram uma boa chuva e estávamos bem no alto das pedras, onde fica o mirante que oferece uma linda vista da região.  Tivemos que descer com muito cuidado, porque escorrega muito.  Muita gente nada na água mega gelada e lá de cima, ainda há uma descida bem íngrime, pelo meio das pedras, para se chegar bem pertinho da queda da Casca D’Anta. Há, também, uma trilha de aproximadamente 3 km que dá para descer e subir, a partir do pé da queda.  A ida e volta dura, em média, 4 horas. Recomenda-se levar água e protetor solar (não é aconselhavel fazer o passeio em dias de chuva, pois as pedras ficam ainda mais escorregadias).

Serra da Canastra Casca Danta 2Serra da Canastra queda Casca Danta 1Serra da Canastra quedas Casca Danta

A Casca D’Anta é a maior atração da Canastra em todos os sentidos.  Pode ser vista tanto de cima quanto por baixo, de longe….. Ali na parte alta, onde estávamos, ela fica 38 km distante da cidade de São Roque de Minas.  Muitos nadam nas piscinas naturais formadas pelo rio São Francisco antes e depois das pequenas quedas e bem antes de onde ela o rio se joga a uma altura de mais de 180 metros. O nome é estranho né, mas o nome vem de uma árvore com propriedades medicinais.

O lugar é lindo!!  Outro, de contemplação, mas logo tivemos que sair por conta da chuva.  Pensa naquela estrada que contei cheia de barro……  Ah e o pessoal da Tucson firme e forte. Nem ali eles enroscaram!!!!! Antes de sairmos comemos nosso Kit Lanche.

tuscon na canastra

Seguimos o passeio até a Cachoeira dos Rolinhos Rolinhos, um outro lugar bem visitado na parte alta da Serra da Canastra. O caminho é muito interessante, ali há vegetação de transição – Mata Atlântica para Cerrado e pode ser observado pela mudança, inclusive do solo.  É incrível!!!!! Ali, tivemos que desviar da toca do tatu, uma buraco enorme aberto no meio do caminho e eu fiquei bem intrigada e querendo ver aquele tatu, mas nada…..  Ali, também, os animais típicos da região podem ser vistos, mas estava chovendo e deixamos de ver, de novo, o tamanduá bandeira, o lobo guará e o veado campeiro.

Serra da Canastra RolinhosRolinhod Serra da Canastra

A Cachoeira dos Rolinhos é linda, desde longe. Começa com uma pequena “cachoeirinha”que se chama Colibri ou Rasga Canga, forma várias piscinas naturais e quando chegamos lá, a chuva já tinha passado e todos quiseram nadar (eu não! Não curto agua gelada…..). Vicente nos contou que com chuva tem que sair logo dali, porque dependendo da quantidade de água, a coisa ali encrespa.

Serra da Canastra Rolinhos Arco IrisSerra da Canastra Arco Iris completo

Lembra que eu disse que a chuva havia passado?? Pois é, de repente, um lindo e enorme arco iris que no fim terminou duplo se formou ali na Cachoeira dos Rolinhos, para fechar o nosso passeio com chave de ouro.

Mais para frente, para o lado, na volta,  fica a “garagem de pedra” que dá vista para a Babilônia, mas o acesso estava proibido. Curioso para saber o que é a garagem de pedra? Ela foi construída para facilitar o acesso à fazenda que ali existia.  Quando o dono chegava, soltava rojões e os empregados mandavam cavalos para que ninguém precisasse subir ou descer à pé. Hoje a garagem é um ponto de apoio, principalmente no combate ao incêndio na região e a ligação da parte alta com a parte baixa.

Voltamos do passeio observando a paisagem e procurando os animaizinhos que, com aquela garoa que ia e vinha, se escondiam, é claro.  Vimos, novamente, vários tipos de ave e muitos gaviões.  Encontramos, também, corujas buraqueiras. São lindas!!!

Serra da Canastra GavioesSerra da Canastra Coruja Buraqueira

Final de dia é final de dia né!!!  Segue, 50 tons de por do sol………

Serra da Canastra Por do SolSerra da Canastra Por do Sol SequenciaSerra da Canastra Por do Sol diferente

Quem fez esse passeio também, foi a Mirella e o Kiko do Mikix no Mundo e Viajoteca e contaram nesse post PARTE ALTA DA CANASTRA

Quanto foi o passeio? Fechamos a Hilux do Vicente para os dois passeios a R$ 600,00 cada um. Achou caro? Sim, não é barato, mas se você não tem um carro 4×4, é a forma de conhecer a Serra da Canastra de um jeito muito legal.

Há outros tipos de transporte para esse passeio, em jipes onde são colocados bancos, que levam, em média de 6 a 10 pessoas e mais em conta.  São contratados nas agências de São Roque de Minas.

Gostou do post?? Tem dicas?? Deixe um comentário e vamos dar vida ao blog!!!

 

Sobre Debora Godoy Segnini

Debora Godoy Segnini
Nascida em São Paulo, atualmente morando nos Estados Unidos, é mãe, esposa, funcionária pública em trabalho remoto, editora deste blog, viajante, até na maionese, adora viajar, vinhos, cozinhar, restaurantes, livros, passear, sol, chuva, doce, salgado, montanha russa, museu....... e no blog retrata as viagens da família, do casal e da vida!!!! Tudo aquilo que mais Gosta e Pronto!!!!

Confira

Vale da Babilônia – Serra da Canastra

Um dos passeios que você pode fazer quando estiver na região  é conhecer o Vale …

2 comentários

  1. Débora,
    quando foi a sua viagem para Serra da Canastra?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *